Top 10 melhores livros de 2018

Recentemente o The New York Times divulgou uma lista com os 10 melhores livros publicados em 2018. Os editores do The Times Book Review selecionaram as dez melhores obras — de ficção e não ficção — publicadas esse ano; na sequência você pode conferir a lista completa.

Dos dez livros apenas três já foram publicados aqui no Brasil, confira abaixo quais são as obras que já foram traduzidas aqui.


CANÇÃO DE NINAR, de Leïla Slimani | TUSQUETS • 192 PÁGINAS • FICÇÃO
Sinopse: Quem cuida dos seus filhos quando você não está olhando? Apesar da relutância do marido, Myriam, mãe de duas crianças pequenas, decide voltar a trabalhar em um escritório de advocacia. O casal inicia uma seleção rigorosa em busca da babá perfeita e fica encantado ao encontrar Louise. Aos poucos, no entanto, a relação de dependência mútua entre a família e Louise dá origem a pequenas frustrações – até o dia em que ocorre uma tragédia. Canção de Ninar trata de questões que revelam a essência de nossos tempos, abordando as relações de poder, os preconceitos entre classes e culturas, o papel da mulher na sociedade e as cobranças envolvendo a maternidade.

• LÁ NÃO EXISTE LÁ, de Tommy Orange | ROCCO • 304 PÁGINAS • FICÇÃO
Sinopse: Lá não existe lá apresenta ao leitor uma narrativa exuberante e inovadora sobre identidade, tradição e tragédia pelos olhos de 12 personagens, “índios urbanos” da Califórnia, cujas histórias vão convergir no Grande Powwow de Oakland, tradicional evento da cultura indígena que promove a integração por meio da música. Feroz, bravo, engraçado e comovente, o primeiro livro de Tommy Orange é um retrato maravilhoso e arrebatador de uma América pouco retratada, a das comunidades indígenas urbanas contemporâneas, numa narrativa sobre violência e recuperação, família e perdas, identidade e poder.

• A MENINA DA MONTANHA, de Tara Westover | ROCCO • 352 PÁGINAS • NÃO FICÇÃO
Sinopse: Criada nas montanhas de Idaho, nos Estados Unidos, sem acesso à escola, livros ou médicos até os 17 anos, Tara cresceu totalmente isolada da sociedade. Quando um dos irmãos da jovem conseguiu chegar à universidade e trouxe notícias da vida além das montanhas, Tara decidiu tentar um novo estilo de vida. Ela aprendeu, de forma autodidata, matemática, gramática e ciência, e conseguiu chegar à universidade, onde estudou psicologia, política, filosofia e história. Sua busca por conhecimento a levou para Harvard e Cambridge. E sua história se transformou em um livro de sucesso, publicado quando ela tinha apenas 29 anos.


Abaixo as demais obras que aparecem na lista do The New York Times, ainda sem publicação aqui no Brasil.


• AMERICAN PRISON, de Shane Bauer | NÃO FICÇÃO
Sinopse: Shane Bauer, jornalista americano, se disfarçou para trabalhar como guarda em uma prisão privada dos Estados Unidos. Seu disfarce durou apenas quatro meses, mas foi o suficiente para juntar material para escrever uma matéria para a Mother Jones — revista independente, sem fins lucrativos, conhecida por suas reportagens investigativas. Sua reportagem teve grande repercussão ao retratar abertamente os horrores que presenciou na instituição; nesse livro Bauer se aprofunda ainda mais sobre o assunto.

• WASHINGTON BLACK, de Esi Edugyan | FICÇÃO
Sinopse: Considerada como uma história transcendente de empatia e imaginação. Se passa em uma plantação de açúcar nos anos finais da escravidão em British Barbados. A autora utiliza-se desse contexto histórico para contar uma história que mistura o real com o fantástico.

• THE GREAT BELIEVERS, de Rebecca Makkai | FICÇÃO
Sinopse: Ambientado em dois lugares e momentos distintos; uma Chicago dos anos 80 e em Paris à época dos atentados de 2015. Esse romance usa a epidemia de AIDS e a busca de uma mãe por sua filha para explorar os efeitos da perda sem sentido e nossos esforços para superá-la. A autora constrói uma história empática sem ser sentimental.

• SMALL FRY, de Lisa Brennan-Jobs | NÃO FICÇÃO
Sinopse: Brennan-Jobs cresceu entre dois mundos completamente diferentes: o mundo boêmio de sua mãe, tida como uma artista instável, e o mundo luxuoso de seu pai, cada vez mais rico, Steve Jobs. Ela fornece retratos indeléveis de sua vida e de ambos os pais nesse seu livro de memórias; a estreia de uma sensibilidade literária singular.


• ASYMMETRY, de Lisa Halliday | FICÇÃO
Sinopse: Nesse romance acompanhamos duas histórias que, aparentemente, não se conectam, mas que, com o avançar da leitura o leitor consegue fazer conexões surpreendentes.

• HOW TO CHANGE YOUR MINDE, de Michael Pollan | NÃO FICÇÃO
Sinopse: Explorando a história e a ciência dos psicodélicos, Pollan fala da ascensão e queda de nosso interesse social por essas drogas, que agora são consideradas como tendo muitos benefícios, desde ajudar no vício a aliviar o terror dos doentes terminais. O livro atinge seu ponto alto quando ele examina o misticismo e a espiritualidade da experiência psicodélica. O que podemos aprender sobre nós mesmos quando a parte de nossa mente controlando o ego desaparece? O que é essa parte mais antiga e primitiva do cérebro, que nos conecta a como uma criança vê o mundo? É uma viagem que o leva a imaginar como, em última análise, podemos tirar o máximo proveito de nossas existências como seres conscientes no mundo.

• FREDERICK DOUGLASS, de David W. Blight | NÃO FICÇÃO
Sinopse: Um trabalho monumental sobre uma figura monumental. O carismático Douglass foi a consciência de Abraham Lincoln, por assim dizer, e a biografia cinematográfica detalhada de Blight é o resultado de uma vida inteira de envolvimento com o assunto. Douglass escreveu três autobiografias, descrevendo sua ascensão da escravidão a um papel como uma das maiores figuras do século XIX, mas o trabalho de Blight é mais completo do que qualquer um deles, relacionando tanto a vida pública quanto a vida privada de uma forma que Douglass não poderia ou não se comprometeria. O resultado é um retrato que provavelmente será a conta definitiva para os próximos anos.


Leia o post original no The New York Times.
Caso saiba sobre a publicação, aqui no Brasil, de algumas dessas sete últimas obras mencionadas, avise nos comentários.


Obrigada por acompanhar o canal e o blog. Qualquer dúvida ou sugestão deixe nos comentários ou me encontre nas redes sociais.



0 comentários:

Postar um comentário